/eks waɪ ədˈventʃərəs/

HomeParceriaO AutorA HistóriaContatoCapítulosPersonagens (S01 - S02 - S03)

Season 3 — Capítulo 09 (Parte 02)

Finalmente todos conheceram a extravagante Valerie, irmã de Matthew. Um tanto excêntrica e metida, a Gym Leader da cidade de Laverre não hesita em aceitar a 10ª revanche de Matthew contra ela, em uma disputa oficial pela insígnia das fadas. No entanto, quando Matthew pensa que finalmente vai vencer a irmã, parece que o jogo pode virar (novamente). Após uma incansável disputa de pokémons do tipo Fairy, Matthew consegue derrotar Granbull e Mr. Mime, os dois primeiros pokémons de Valerie, mas parece que a Gym Leader tinha uma arma na manga: quando tudo parecia bem, eis que surge a Mega Shinka e uma poderosa Mawile mega-evoluída, pronta para o que der e vier!


***

Matthew ficou parado. Não sabia o que fazer, nem como fazer. Nunca, em nenhum de suas lutas anteriores contra Valerie, ela utilizou a Mega Shinka. E ele nunca nem sequer soube de que a irmã podia realizar tal processo, muito menos Mawile. Parece que seus planos de usar Azumarill como último pokémon foi-se por água abaixo. De que adiantava usar um tipo água contra uma metálica  e megaevoluída Mawile? Então lhe ocorreu um pensamento...
        — Já sei! Sylveon, vamos dar o nosso melhor! — E deu uma piscadela para o pokémon parado à sua frente, enquanto a nuvem que outrora fora um Misty Terrain se desfaz em pó.
        — Eon! — E mesmo muito ofegante, cansada e arranhada, a pobre Sylveon concorda, balançando a cabeça positivamente. Parece que aqueles Double-Edge lhe custaram muito.
        — O.K... Mawile, vamos MASSACRAR!
        — Wile!
        Mega Mawile também balançou a cabeça afirmativamente, mas este efeito produzia em si uma onda sinistra, fazendo com que as duas bocarras de planta carnívora subissem e descessem rapidinho em uma chacoalhada selvagem.
        — Use o Dazzling Gleam! — Grita Matthew, e Sylveon obedientemente começa a irradiar uma luz cegante que se espalha por todo o campo.
Dazzling_Gleam_
        — Mega-Mawile, use Hyper Beam! — Em contrapartida, Mawile começa a brilhar em um tom cor-de-rosa, direcionada toda na forma de uma enorme esfera de energia à sua frente.
        Então antes que alguém pudesse soltar um único pio de dor nos olhos, tudo explodiu em chamas branco-rosadas, e todos agora podiam abrir as pálpebras para avistar lá embaixo, no campo de batalhas, dois raios atingindo um ao outro. De um lado, Sylveon disparando uma luz branca, do outro, Mawile com uma rajada púrpura muito escura, dando um significativo contraste àquela batalha.
        — Vai, Sylveon! — Y começou a incentivar Sylveon, que lutava bravamente para que sua rajada de luz não fosse empurrada pela de Mawile. Então de repente, todos gritavam e motivavam Matthew lá das arquibancadas.
        — Força, Sylveon! Você consegue! — Matthew ajoelha-se ao lado de seu próprio pokémon, que parecia sentir muita dor de tanto esforço, pois sua expressão facial era de incrível desgosto.
        — Mawile, não vamos perder para um pokémon não-mega-evoluído. Dê o seu máximo!
        Valerie repetiu a ação de Matthew e pôs-se ao lado de Mega-Mawile, que não parecia tão acabada quanto Sylveon, mas mesmo assim, parecia fazer força pra manter aquela rajada viva.
        — Luta, luta sem parar! — Shauna e Zack faziam movimentos idênticos com os braços, imitando aqueles pompons com purpurina que as líderes de torcida carregam. — O Matt vai ganhar!
        — Eon... Eon...
        Mas Sylveon não parecia muito animada com a ideia. Suas quatro patas agora começavam a tremer e a cambalear, mas ela continuava firme, segurando seu feixe de luz branca que colidia em um som terrível contra aquele sombrio Hyper Beam.
        — Acho que já chega. — Disse Matt baixinho. — Sylveon, pare de atacar!
        Então o local preencheu-se com vários e uníssonos "O QUE???", quando o feixe de Sylveon se apagou rapidamente e a força de Mawile ampliou-se metendo uma poderosa rajada negra na Eeveelution enquanto Matt ligeiramente se afastava.
        — Eooon-- @x@!
        Tudo o que se viu a seguir foi uma pobre e fumacenta Sylveon voar pelos ares até cair exatamente no colo de seu treinador, que acolheu-a bem a tempo.
        — POR QUÊ? — Valerie irritou-se ao ver aquilo. — Por que, Matthew? Por quê? VOCÊ NUNCA AGUENTA A PRESSÃO! SEMPRE SE RENDE ANTES DO TEMPO! E EU... DESPREZO TANTO ISSO EM VOCÊ! COMO EU PUDE TER UM IRMÃO TÃO COVARDE?!


POKÉMON XY ADVENTURES APRESENTA:

Season 3 — Capítulo 9 (Parte 02 de 02)

Ω BRIGA entre Irmãos! Matthew VS Valerie


— Valerie... — Matthew começou lentamente, sem alterar o tom de sua voz. — ... eu realmente seria covarde se eu não assumisse ser quem eu realmente sou! Conviver dia e noite com o preconceito... Não poder andar desacompanhado na rua por medo de ser discriminado ou ainda pior: agredido, espancado. Mas como não é o caso... Como eu tô tentando mudar esse mundo ignorante que nos cerca, você não pode me chamar assim! Sob nenhuma hipótese!
        — Ah, lá vem você de novo com essas viadagens! — Valerie parecia explodir de raiva. Seus olhos estavam pegando fogo e pareciam escorrer sangue, enquanto faíscas atravessavam o peito de Matthew como uma flecha. — Arceus criou o homem para a mulher e a mulher para o homem! Você... Você está sendo usado pelo demônio, Matt!
        De repente fez-se um silêncio terrível e todos os que estavam na plateia pareciam ter achado uma repentino interesse nos detalhes na madeira da arquibancada, exceto por Zack, que parecia muito ofendido com aquilo. Afinal, que culpa eles tinham se nasceram assim? Gays e sem qualquer outro motivo de orgulho pelos pais?
        Então Matthew, após respirar profundamente e contar audivelmente até 10, pela primeira vez falou bem alto e firme, quase como se estivesse deixando-se levar pelas emoções.
        — Pelo Demônio?! Ah, pelo amor... E quem você pensa que é pra falar assim com o seu irmão mais novo? Você que acha que é, Valerie? Você É O PRÓPRIO DEMÔNIO, sua VADIA! Com esse seu simbolismo oculto e essa sua crueldade no coração! Eu sei que tenho meus pecados, mas você... Você é muito cheia de si, parece que está invisível, alheia à qualquer lei do universo! É como se... Como se você fosse uma... Deusa ou algo assim! Você se glorifica até o último minuto e não percebe que está submersa em pecados, mana! Se eu estou sendo usado pelo demônio da Luxúria, com certeza você está possuída pelos demônios da Vaidade, da Inveja, e como demonstrou agora há pouco, da Ira.
        — Sabe qual é o seu problema, Matthew--
        Mas antes que Valerie pudesse lhe jogar mais um monte de insultos, Matt revidou.
        — Sabe qual é o SEU problema, Valerie! Você julga muito aos outros, mas nunca a si mesma! Só enxerga o c* dos outros e esse seu, coberto por roupas de grife que quase te levaram à falência, não uma, mas milhares de vezes, você esconde à sete chaves, inclusive de si própria!
        Valerie ficou parada, observando a expressão do irmão, cujos olhos estavam visíveis por cima do casual óculos de sol Ray Ban. Por um momento, pareceu que ia explodir de amargura, raiva, ódio e tudo que é tipo de energia negativa que se possa imaginar, mas então Zack, lá da plateia, conseguiu perceber o queixo da líder de ginásio tremer e seus lábios se abrirem em um grito não de histeria, mas de angústia e sofrimento, enquanto as lágrimas lavavam aqueles olhos pintados de preto para se parecerem com os de uma fada da televisão.
        E então, as últimas palavras dentre todas as línguas que existem e que podiam ser ditas por Valerie de repente preencheram o salão, agora quase vazio fazendo eco.
        "Me Desculpa"
        Um silêncio pior ainda se instaurou sobre o local, deixando a atmosfera muito mais pesada que o de costume, enquanto a líder de ginásio caía ajoelhada no chão, manchando seu vestidinho de seda com lágrimas torrenciais, em meio a uma enxurrada de soluços.
        — O que... O que você disse? — Por essa Matthew não esperava. Até Sylveon que continuou em seu colo parecia ter despertado de seu nocaute.
        — Me... — Valerie fungou o nariz fininho e delicado, como o de uma princesa e então prosseguiu, com muita dificuldade, pronunciando as mesmas palavras de antes. — Me... Desculpa!
        — Pelo quê, afinal?
        — Por... Tudo... — E então, Valerie atirou-se no chão, dando soquinhos abafados no piso, berrando como uma criança com medo de ser vacinada.
        — Se esta for sua estratégia para me vencer mais uma vez... Não vai dar certo, Valerie! — disse Matt com uma voz firme e imponente. Ele conhecia Valerie muito bem e por isso sabia que não fazia o feitio da Gym Leader pedir perdão, muito menos implorar, como ela parecia estar fazendo, soluçando atirada à seus pés.
        — Não, Matt... Durante todos esses anos... Você esteve certo... Eu... Nunca parei pra olhar pra mim mesma e apontar meus erros... Especialmente naquele dia, Matt... Ah, como eu fui injusta! O que um garotinho de dez anos podia fazer com dois treinadores poderosíssimos como aqueles, Matt? Eu fui muito ingrata comigo mesma e com você durante esse tempo todo, Matt... Eu... Senti vergonha! VERGONHA! Por que eu fui usada... Abusada... Eu me sentia impura, suja, podre... Enquanto você... Você não. Eles não te pegaram, Matt! Você ainda estava imaculado, cristalino... Então... Quando você revelou que... Gostava de meninos, eu... Me senti com nojo! Com nojo por que você estava tão purificado e... aquela notícia... Fez com que você também parecesse impuro aos meus olhos, Matt! Você e eu... Dois irmãos contaminados! Contaminados pela sujeira desse mundo!
        Ninguém nas arquibancadas ousava olhar para o campo enquanto Valerie fazia aquelas confissões de sua vida pessoal e que aparentemente Matthew nunca havia compartilhado com eles, mas seus ouvidos pareciam grudados em cada palavra que era dita.
        Mas Matthew era o único que parecia paralisado, incrédulo com o que acabara de ouvir. Sua irmã havia se tornado tão ácida com ele... Por causa de um incidente que havia acontecido anos atrás? Mesmo com tanto tratamento de psicólogos e psiquiatras? Valerie ainda sentia-se machucada por ter sido atacada por dois homens quando tinha 14 anos e estava regurgitando toda a culpa e dor pra cima do único que vivenciou aquela experiência terrível, seu irmão mais novo?
        — Valerie, você...
        Então agora era a vez de Matthew debulhar-se em lágrimas, o rosto bastante vermelho, escondido pelo cabelo azul e os óculos escuros.
        — Bem... — Disse ele enxugando o nariz na manga de seu moletom aveludado. — ...Acho que você não devia compartilhar isso só consigo mesma, Valerie! Vem!
        E após ter ajudado sua irmã se levantar do chão sujo, Matthew apertou-a em um abraço sufocante. Finalmente entendia o porque sua vida havia virado de cabeça pra baixo há alguns anos. Finalmente percebeu que o problema não era com ele, mas com aquela que o julgava todos os dias enquanto sob seu teto, sua irmã.
        — Valerie pediu um pouco de água para uma das Irmãs Furisode e todas foram-se junto, buscando também um banquinho e um pouco de açúcar para misturar na água.
        Com um aceno, Matt chama seus amigos pra perto e todos ficam ao redor da Gym Leader, sentados como indiozinhos no chão do ginásio.
        — Vamos, Val! Guardar a dor para si mesma é a pior coisa a se fazer. É isso o que te torna "impura". — disse Matthew, enquanto a irmã soluçava desesperada. — Não o que aconteceu com você, mas o fato de não deixar que os outros te ajudem. E é o que vai fazer toda a diferença. Por favor, conte a todo mundo o que aconteceu e... Livre-se desse fardo, Val! Livre-se de tanta mágoa!

--------------- *** ---------------

"Bem... Foi em um dia maravilhoso. Nem muito quente e nem muito frio. Estávamos, eu e meu irmão vindo da cidade de Lumiose. Ele havia acabado de pegar seu pokémon inicial com o Professor Patrice no dia em que completou seus dez anos de idade e eu havia ganho minha primeira roupa de fada, um modelo único que pesava exatamente o meu peso nos dias de hoje. Oh, como estávamos felizes. Pela primeira vez o pequeno Matt com seus dez anos e cabelos ainda castanho-escuro estaria em uma jornada pokémon e eu, uma jovem indomável no auge da adolescência, prestes a fazer meus quinze, o que faltava um mês, se não me engano, tinha enfim realizado o meu sonho de ser uma boneca-humana.
        — Ah, maninha! Vamos batalhar! — "Matthew oferecia-se de cinco em cinco minutos para batalhar comigo. Agora ele tinha dois pokémons... O que eu tinha dado pra ele, e o que ele havia pego com o Professor Patrice.
        — Não, eu já disse! Só estou com a Mawile aqui! E se eu precisar batalhar contra algum pokémon selvagem mais pra frente? Vamos! Temos que voltar pra Laverre! Papai com certeza vai fazer uma festa quando ver o seu novo parceiro.
        "Não tinha coisa mais chata do que um irmão mais novo incomodando o caminho inteiro, mas eu tinha outras preocupações no momento. Dar uma batalha à ele só ia me atrasar.
        — Ah, vamos, maninha! Por favor! Por favorzinho!
        — NÃO! Eu já disse e não vou falar de novo! E se tornar a pedir isso, vai ficar de castigo por uma semana! Lembre que Mamãe me deixou no controle!
        — Como você é má!
        — Ora, vamos Matt! Não posso me atrasar! Tenho um ensaio fotográfico marcado para as 4! E já são 3 e meia! Temos que chegar em Laverre logo ou--
        "PARADOS AÍ!
        "Dois homens gigantescos vestindo uniformes negros com um enorme 'erre' estampado estavam ali parados à nossa frente. Matthew fui a oportunidade e logo foi atirando sua pokébola pra cima. Um erro, pois eles não queriam batalhar. Eles queriam apenas revistar a gente, pra saber se não estávamos com algum objeto que eles chamavam de Mega-Orbe.
        — Vaaaai, Chespin! Eu escolho você!
        — Cheeees!

--------------- *** ---------------

        — PERAÍ! Você tinha um Chespin? — Pergunta Zack para Matt, surpreso.
        — E não um Chespin qualquer... Mas o SEU Chespin, Zack! Hoje um Chesnaught.
        — O QUE? Quer dizer que... O... Meu? O meu Chesnaught?
        — SIM! É por isso que Chesnaught me obedece tão bem... É por que... Eu fui o primeiro treinador dele, há muito tempo atrás, antes mesmo de você pensar em sair em uma jornada.
        — E por que não me contou isso antes? — pergunta Zack incrédulo com a revelação de Matthew.
        — Bem... Creio que você não se sentiria bem se soubesse que seu pokémon ainda nutria sentimentos por um menino que conheceu há anos atrás e ficou por tão pouco tempo com ele... Agora deixemos que Val termine sua história!

--------------- *** ---------------

"Bem... Matthew atacou os vilões do nada. Só estava querendo ter uma batalha oficial contra algum treinador... Talvez se eu tivesse aceitado o pedido dele, isso nunca teria acontecido. E talvez se ele não tivesse batalhado contra eles "à força", eu hoje fosse outra pessoa.
        "Mas chega de colocar a culpa nos outros, como diz o Matt... Eu também errei em não ter aceitado o pedido de meu irmãozinho. Mas eu estava no auge de minha adolescência e ele era só um pirralho de dez anos me incomodando.
        "Enfim... Quando Chespin saiu de sua pokébola, uma reação em cadeia formou-se. Os dois Rockets pegaram suas pokébolas e jogaram para o alto revelando dois terríveis, cruéis, nojentos e monstruosos pokémons do tipo Dragão!
 
        "Um Dragonite e um Hydreigon, para sermos mais exatos." — Corrige Matthew.
        "Tudo bem... Se é assim que você prefere chamar os inimigos naturais dos pokémons tipo Fairy... Bem, que seja. Mas o fato é que ambos os pokémons ali parados em frente a Chespin eram e são até hoje tipo como 'Pseudo-Lendários', ou seja, os falsos lendários, devido seu grande nível de poder, que assemelha-se muito ao de pokémons lendários.
        Mas o pequeno Matt não sabia de nada disso e eu, é claro, tive que me meter na batalha. Puxei minha pokébola e saquei Mawile, o único pokémon que eu tinha levado comigo naquela ocasião.
        "Então o conflito começou...
        — Chespin, use o Pin Missile!
Chespin_Pin_Missile
        "Sim, ele usou um golpe do tipo Inseto contra um tipo Dragão. Estava apenas iniciando sua jornada. Matthew não sabia de nada.
        — Mawile, Focus Punch!
        "A ruim era que Mawile também não sabia golpes que fossem bons contra os dragões, ainda que tivesse vantagem de tipo...
        "E assim fomos facilmente pegos.
        — Dragonite, Twister!
        — Hydreigon, Dragon Rush!
        "Com apenas dois golpes, Matthew e eu caímos como patifes no chão. Uma enorme explosão se instaurou e fomos atirados pra longe. Chespin caiu derrotado na hora. Mawile teve uma grave fratura no braço.
        "— Matthew! Matthew!
        "Lembro-me de ter gritado, procurando por Matt, mas não o via em lugar nenhum. Então senti uns quatro braços me envolvendo e me levando pra longe. Eu e minha roupa feérica novinha em folha, agora toda suja de fuligem.
        "Os dois Rockets me levaram para uma cabaninha ali na Rota e então o dia que começou alegre terminou em desgraça. Eu gritava e gritava, pedindo por socorro, mas...
        "Ninguém veio, nem mesmo Matthew. Até que então, alguém arrombou a porta e me tirou de lá. Acordei no hospital de Laverre, com Matthew e minha família me cercando na cama...

--------------- *** ---------------

— Mas Matthew! Como foi que você não fez nada pra salvar sua irmã? — Pergunta Shauna.
        — Aí é que está! Eu tentei ajudar Valerie e foi graças a mim que ela conseguiu sair daquela cabana! Eu venho tentando explicar isso a ela todos esses anos e ela nunca me ouviu. Vamos agora á outra parte da história... O que aconteceu depois da explosão de golpes tipo Dragão e onde é que eu fui... Deixa que eu narro agora, Val! De qualquer forma, você sempre se recusou a acreditar nesta parte da história mesmo.

--------------- *** ---------------

"Com Chespin derrotado tão fácil, eu não deixei barato. Peguei o primeiro pokémon que eu tive e que tornou-se um companheiro inseparável pra mim: a pequena Eevee, hoje conhecida como Sylveon.
        — Vaaai, Eevee!
        "O pequeno pokémon até então do tipo Normal, saiu radiante da pokébola, como sempre, mas parou com seu júbilo natural ao me ver chorando do lado de fora.
        — Ueee, Ueee?
        — Eevee, eles pegaram a mana! Eles pegaram ela!
        "Lembro-me de estar tão soluçante que apenas apontei pra cabana pra onde aqueles dois vilões levaram Valerie. Mawile estava, mesmo com o bracinho quebrado ,tentando resgatar sua treinadora, atacando a porta de ferro a todo custo, mas parece que nada adiantava...
        "A pobre pokémon disparou um poderoso Solar Beam contra aquela porta, que só não rachou porque algo ou alguém devia estar lá dentro protegendo a entrada. Talvez algum dos pokémons dos Rockets.
        "Sim... Era aquele asqueroso... O Hydreigon!" — Confirmou Valerie, que tremia sem parar.
        "Enfim... A porta não cedeu, mas eu tinha que tentar derrubá-la, era óbvio. Então ordenei que Eevee ajudasse Mawile enquanto você gritava lá dentro.
        — Vamos Eevee! Use Shadow Ball!
Eevee_Shadow_Ball
        "Mais uma Explosão aconteceu, mas a porta não caiu. Talvez Eevee e Mawile tivessem níveis muito baixos naquela época. Eu não me lembro, afinal essas duas estão na família há muitos anos. Mas o fato é que a maldita porta não cedia e as paredes de tijolos duplos parecia tão inquebrável, que era muito improvável que conseguíssemos atravessá-la.
        Tentamos de tudo. Tentamos abrir janelas, quebrar os vidros, mas um dos Rockets estava de prontidão esperando por a gente, com o Dragonite atacando...
        — Suas crianças idiotas! A gente só queria revistar vocês! Não nos deixaram outra opção! — Zombava o Rocket do Dragonite, que ria sem parar. — Vai, Dragonite! Dragon Pulse!
        "Através de uma pequena fresta na janela, Dragonite conseguiu atirar uma bola de energia destrutiva que criou uma explosão fenomenal, envolvendo não só Eevee e Mawile, mas como a mim também. Tenho as cicatrizes até hoje, se duvidar.
        "Então tive uma ideia. Estávamos perto de  Laverre. Eu só tinha que atravessar a Rota pra chegar à cidade e então... Eu poderia chamar a polícia, meus pais e sabe-se lá mais quem.
        "Corri em direção à cidade, deixando Mawile e Eevee sozinhas, lutando contra aquelas paredes impenetráveis.
Eevee_Trump_Card 
        "Com muita sorte eu conseguiria chegar à Laverre em menos de dez minutos, afinal todos sabem, a Rota 14 é um pouco grandinha. Mas ao invés de correr sem parar até chegar à cidade, eu tive uma ideia. Uma ideia que poderia tirar Valerie de lá muito mais cedo do que se eu corresse para a cidade.
        "Pensem. Em todas as Rotas de todas as regiões de pokémon sempre há um treinador pentelho que fica parado esperando para batalhar com o primeiro que aparecer à sua frente. Pois é... Naquela época não era diferente. Então era muito mais fácil eu achar alguém dentro da própria rota do que sair me descabelando até a cidade.
        "Vocês não tem ideia do quanto eu corri.  Ah, corri. Como corri. procurei em todos os cantos daquela mata maldita, carregando Chespin em meus braços, desprotegido de ataques de pokémons selvagens, e mesmo assim, mesmo com toda essa correria, ninguém aparecia. Como era possível que todos os treinadores pelos quais passamos antes de sermos parados pelos Rockets tivessem sumido.
        "Então esbarrei em alguma coisa. Alguma coisa alta, gigante e magrela. Era um homem, um homem com cabelos muito platinados compridos usando roupas pra lá de esfarrapadas e levando consigo apenas uma mochila e uma chave presa à correntes em seu pescoço, como um colar. À princípio eu me assustei por ele ter o tamanho de uma árvore, mas não tinha tempo pra me intimidar. Eu tinha que ajudar Valerie. Pedi ajuda para o homem e ele concordou em me ajudar, sem dizer uma única palavra, apenas acenando a cabeça, e me seguiu.
        "Quando chegamos, eu e o gigante, à cabaninha onde Valerie havia sido pega, a porta parecia ter explodido e a casa estava prestes a desmoronar. haviam vozes lá dentro. Vocês que eu conhecia. Eram meus pais.
        "Entrei correndo na cabana e percebi Mawile e Eevee desacordadas no chão, enquanto papai e mamãe tentavam consolar uma pequena e humilhada Valerie, que tremia muito embolada em posição fetal no chão.
        "Quando olhei pra trás, o homem que havia concordado em ajudar havia sumido. Desde aquele dia, fui julgado erroneamente como covarde. Minha mãe vivia dizendo:
        — Como é que foi deixar isso acontecer com sua irmã?!
        "Papai já era mais direto, e sempre perguntava:
        — Onde é que você estava e o que está fazendo?
        "E não adiantava explicar nada do que tinha acontecido, nem que eu tava tentando ajudar, mas não conseguia achar ninguém até que aquele gigante de 3 metros de altura apareceu...

--------------- *** ---------------

        — E como foi que seu pai e sua mãe chegaram lá? Digo, lá na floresta. — Acrescentou depressa Shauna, antes que todos maliciassem sua primeira frase.
        — Bem... Digamos que estávamos atrasados umas duas horas. — Explica Matthew. — À princípio, Valerie se demorou na loja de roupas em Lumiose... Eles já estavam bastante preocupados conosco bem antes de sequer termos pisado na Rota 14 ou de termos batalhado contra os Rockets, então resolveram de ir atrás da gente. E escutaram a Valerie gritando e então... Ah, acharam ela. Destruíram a cabana com seus pokémons... E então deu no que deu.
        — E os Rockets? — Pergunta Y, que sentia cada vez mais nojo da Equipe Rocket, com o qual travou uma guerra há cerca de um ano atrás.
        — Bem, Papai havia espancado um até ele "quase" morrer. O outro foi pego por Mamãe. Ambos estão presos hoje e ajudaram na hora da captura da Equipe Rocket durante todos esses anos, revelando informações vitais e segredos que só a equipe de vilões conhecia.
        Valerie deu mais um suspiro com as últimas palavras de Matthew e abraçou, do nada, Zack, que até então havia permanecido calado.
        — Ah, Valerie... Eu sinto muito. —Y dá uns tapinhas bobos nas costas de Valerie, enquanto Trevor fazia uma bela de uma massagem nas costas da Gym Leader. Shauna segurava uma das mãos da Líder e Wood abanava um leque que as Furisode havia trazido da casa de Valerie, fazendo vento para a líder.
        Ouviram-se murmúrios de toda a parte, mas não eram insultos ou xingamentos, e sim coisas como "Continue em frente", "Foi só um obstáculo que a vida lhe deu" e "Não sinta vergonha por isso. Apenas ame a você mesma". Matthew então silenciosamente afastou-se de todos e então entenderam que não havia mais nada pra ser contado. O assunto havia chegado ao final.
        — Hey, Matt! — Valerie dá um grito que ecoa pelo ginásio, agora levantando-se do banquinho, ainda com o copo de água açucarada na mão. — Você tinha razão... Como é bom... Como é bom poder contar com outras pessoas! Olhe para esses jovens! Todos eles... Nenhum deles... Me julgou! Continuam entre mim, mesmo eu estando... "Impura". Você tinha razão, irmãozinho! Você tinha razão! Esta não é uma história vergonhosa! Nem pra mim e nem pra você! Eu só... Queria poder compensar todos esses anos que eu fui ingrata com você achando que estava sendo humilhada por cada olhar que me davam... Ainda que ninguém aqui além de nós dois aparentemente soubesse da história.
        Matthew permaneceu calado, agora fitando a irmã por trás dos óculos escuros.
        — Eu... Simplesmente sentia medo de que os outros me vissem como uma pecadora, uma... Imunda... Mas eu simplesmente acabo de perceber que eu mesma era a única pessoa que estava me julgando. Você tinha razão, afinal. Todos esses anos, quando disse pra eu me abrir com outras pessoas e só agora, quando essa história veio à tona que eu pude aceitar que era verdade, Matthew. Olhe para seus amigos... Estão todos do meu lado. Nenhum deles me atirou pedras como eu imaginei que fariam se eu contasse esse pequeno e doloroso detalhe.
        — Mais alguma coisa? — Pergunta Matthew, em um tom sombrio.
        — Sim. Eu... Me sinto culpada por não ter acreditado em você, irmão. E... Tudo piorou quando você contou que era gay porque... Eu... Confesso... Tive preconceito. Mas de que adianta tanto ódio e raiva se o que une a todos nós, enquanto HUMANOS é o amor? Por favor, irmão, me perdoe! Me perdoe por tanta ignorância durante todos esses anos! Vamos esquecer disso JUNTOS! Como uma família de verdade! Como tem que ser.
        O silêncio então tomou conta do ginásio.
        — Eu... Te... Perdoo. — Foi a única coisa que Matthew pronunciou, produzindo uma reação em cadeia.  Naquele exato momento, a líder correu até o irmão e o abraçou bem apertado, as lágrimas escorrendo dos olhos de ambos em uma cena comovente que fez com que todos aplaudam de pé a reconciliação entre irmãos.
        — Por favor, Matt! Pode me pedir o que você quiser! — Cochicha Valerie no ouvido do irmão. — Quer ser o líder do ginásio? Eu sei que você tem potencial para tal! O que você quer, Matt?
        — Quero concluir nossa batalha, como se nada tivesse acontecido em um milhão de anos. — Matt dá uma risadinha animada e então se afasta da irmã, postando-se em seu lugar no campo de batalhas. — Pode ser?
        — Ah, claro. Como eu pude me esquecer? Estávamos tendo uma batalha!
        Valerie então coloca-se ao lado de Mega Mawile, do outro lado do ginásio.
        — E aí? Qual será seu terceiro e último Pokémon? Azumarill de novo?
        — Não. Desta vez eu estava pensando em algo diferente... Que tal... DEINO!
        O pokémon que sai da pokébola de Matthew dá um rugido ensurdecedor apesar de seu tamanho indiscutível.
        — Deino é um pokémon do tipo Dragão! — Grita Matthew, para que todos possam ouvir. — E eu o capturei sabendo que é a Pré-Evolução de Hydreigon!, O mesmo pokémon pelo qual tanto eu quanto minha irmã nutrimos ódio e "rivalizamos" durante todo esse tempo! Mas agora... Bem, creio que o capturei justo porque queria provar! Provar que não importam as aparências, não importa o passado... O Capturei pra provar pra mim mesmo que eu podia superar meus antigos erros e minhas antigas dores! Durante todos esses anos eu sofri por andar de mãos dadas com meu namorado Zack, mas percebi que eu também tinha meus preconceitos! Quando eu os deixei de lado, capturando este pokémon, percebi que me tornei muito mais feliz. E afinal, é isso o que importa. Como a própria Val falou... O que nos une neste mundo é o Amor, e o que seria de nós sem ele?
        — Ah, Matt... — Valerie começa a chorar de novo, mas agora parecia ser de orgulho. — Em outras épocas eu te julgaria até o último por você ter capturado um tipo Dragão... Mas agora, depois de tudo isso... Seja bem vindo a utilizá-lo em sua 10ª Revanche, afinal, ele é um pokémon como qualquer outro e não merece sofrer por ter nascido simplesmente do tipo "inimigo" das fadas.
        — Ela é uma pessoa boa, afinal... — Comenta Y com Shauna, lá das arquibancadas.
        — Se arrependeu de seus erros, de seu preconceito e conseguiu se libertar de uma prisão mental... Quase como foi comigo. — Calem segura a mão de Y e os dois se aconchegam um no outro, para assistir à batalha.
        — Headbutt, vai! — Grita Matthew para Deino, que sai correndo com tudo.
        Deino desfere uma poderosa cabeçada em Mega Mawile, que é atirada pra trás...
        — Use o Fairy Wind! Agora! — Valerie reage rápido e ordena Mawile a contra-atacar antes mesmo de cair.
        A Forma Mega-Evoluída de Mawile balança selvagemente as duas bocarras, produzindo uma onda de vento prateado que atravessa o campo de batalhas, jogando Deino contra a parede...
        — Deino, dê tudo de si!
        — NÓS é que vamos dar tudo da gente, não é, Mawile? — (Wile!) — Use o Iron Head!
        Mawile começa a brilhar em um tom de branco e sua cabeça então fica envolvida por uma camada de luz metálica, investindo contra o podre e inofensivo Deino, que é atirado mais uma vez pra longe...
        — Droga! Deino!
        Matthew corre até seu pokémon, que parecia atordoado, todo ferido e quase perdendo a luta. Então algo extraordinário começa a acontecer bem ali, no meio da batalha. Deino levanta-se e começa a gritar e gritar, como se estivesse evocando forças ocultas no fundo de sua mente...
        — Dei, dei, dei, dei!
        Então seu corpo começa a se desenvolver, brilhando como nunca. O que antes era uma cabeça, torna-se agora duas e no lugar de suas costas, surgem duas asas felpudas, acentuadas pelas pernas grossas e robustas, com garras maiores e mais perigosas. Deino já não era mais Deino, mas sim um  dragonês Zweilous!
        — ZWEEEEEII! — A nova voz do Pokémon de Matthew era grossa, mas ao mesmo tempo afiada como uma presa pontiaguda.
        — Isso não muda nada! Mawile, use o Hyper Beam!
        Mawile começa a brilhar em um tom purpúreo e de suas mãos surge uma esfera de energia negra que começa a crescer e crescer, até que é, subitamente, disparada na forma de um raio de luz preta contra Zweilous...
        — VOE! — Reage Matthew instintivamente.
        E Zweilous bate as asas, erguendo-se do chão bem a tempo de escapar de uma explosão causada pelo impacto do Hyper Beam ao tingir o solo.
        Então, algo mais extraordinário ainda acontece: as asas de Zweilous começam a brilhar em um tom prateado, revelando que ao evoluir, o tipo dragão aprendeu um novo golpe: Steel Wing!
        — Ah, você quer brincar de tipo Metálico, é? Mawile, Iron Head!
        E Mawile avança com sua cabeça energeticamente metalizada.
        Os dois pokémons avançam rapidamente um pra cima do outro, colidindo com um tilintar metálico terrível, mas um atingindo ao outro em não só uma, mas várias partes do corpo, antes de caírem no chão...
        — Use o Dragon Rage! Agora! — Zweilous mal toca no chão e já está voando novamente, desta vez cuspindo chamas azuis com formato de dragão pela boca.

        As Chamas envolvem e tragam Mawile em um redemoinho de brilho azul, prensando-a contra o teto do ginásio até que cessam e Mawile cai com tudo no chão...
        "PAF"
        — Use Hyper Beam de novo!
        Mawile levanta-se com dificuldade, um barulho metálico estranho como se um carro estivesse com a lataria massada e então, muito rapidamente, uma energia vermelha forma-se ao redor de seu corpo...
        — Mas o que--
        — É Huge Power, a Ability de Mega-Mawile! — Explica Valerie com um enorme sorriso estampado na cara ao ver seu pokémon brilhar e brilhar enquanto seu fator de ataque é duplicado.
        — Wile! Wile!
        — Mas isso não vai ficar assim! Hustle!
        Zweilous também começa a brilhar em um tom vermelho, e seu fator de ataque também aumenta, do mesmo jeito que Mawile estava fazendo com seu Huge Power, embora as precisões de seus golpes comecem a falhar depois disso.
        — Mawile, Hyper Beam!
        E Mawile continua com seu Hyper Beam, agora mais negro e mais energético do que nunca, formando uma esfera de energia gigante, do tamanho de uma mesa.
        — Ah, é? Zweilous, use o Draco Meteor!
        Antes que Mawile pudesse realizar seu Hyper Beam com eficácia, Zweilous brilhou em um tom laranja e disparou aos céus uma bola de energia vermelha, que rapidamente explodiu em milhares de meteoros energéticos, caindo por todo o campo com incrível poder destrutivo, envolvendo Mawile em pelo menos duas explosões de energia dracônica.
        — Wiiiile!
        E então...
        Um meteoro desavisado desce rasgando o céu em direção à esfera de energia, que Mawile ainda segurava. A colisão entre energias tão diferentes acabou em uma explosão agressiva que não arremessou só Mawile como também a todos (todos mesmo, inclusive os que estavam assistindo nas arquibancadas) pra trás.
        — MAWILE! — Valerie correu até sua pokémon, mas Mawile deu-lhe um tapa na mão enquanto a líder de ginásio tentava ajudar. Estava bem, podia levantar-se sozinha. E assim fez.
        — Você é dura na queda, hein? — Matthew dá uma risadinha. — Mas nós também! Use Steel Wing!
        — Não tão rápido! Mawile, Hidden Power!
        Mawile começa a carregar pequenas bolinhas de energia ao redor de seu corpo, cada uma com um brilho em um tom diferente, que variava entre o rosa e o amarelo-alaranjado.
        — LANCE! — Ordena Valerie.
        — STEEL WING!
        E antes que Zweilous pudesse errar a mira batendo na parede (agora que seu accuracy baixou), Mawile acertou-lhe com as pequenas esferas que estouravam como bolhas, mas pareciam causar muito dano no tipo Dragão.
        — Zwei, zwei--
        — Matthew! — Grita Y da "plateia". — Ela está tentando te derrubar pelo tipo Dark e não pelo tipo Dragon! Este é um Hidden Power do tipo Bug!
        — Ah... Então foi por isso que causou tanto efeito, é? — Matthew começa a tremer de excitação. A batalha estava ficando cada vez mais quente. — Mas isso não vai ficar assim! Incinerate!
        Imediatamente, Zweilous começa a pegar fogo, mergulhando em um turbilhão de chamas pra cima de Mega-Mawile.
        — Salte e use Fairy Wind! — Reage Valerie.
        Mawile então, antes que fosse atingida por Zweilous, dá um pulo bem alto e começa a rodopiar no ar, formando uma camada de vento prateado, que é jogado sem dó nem piedade pra cima do tipo dragão.
        — FORÇA! — Grita Matthew, e um instante depois, o garoto percebe que não precisava ter dito nada. A camada de fogo estava inibindo o vento de Mawile e, ao invés de se extinguir, estava ficando cada vez maior.
        — Vento não apaga fogo... — Concluiu Valerie, mas já era tarde demais. Zweilous pulou e não teve medo de avançar, desferindo uma bela investida flamejante em Mawile, que cai bruscamente no chão, aos pés de suia treinadora.
        — Wile...
        Mawile até tenta se levantar, mas aquele fora um golpe super efetivo. Seus esforços eram inúteis agora...
        — Wile-- @.@!
        — Mawile está fora de combate, a vitória vai para o desafiante Matthew! — disse uma das Furisode Sisters, que servia de árbitro para a batalha.
        — O que? — Valerie não acreditava no que estava acontecendo. Fora derrotada enfim por um tipo Dragão!
        — É isso aí, maninha! — Matthew dava risada enquanto as duas cabeças de Zweilous brigavam entre si. — EU VENCI! EU FINALMENTE VENCI!
        — É, você venceu... Reconheço! (Volte, Mawile) E esta é a prova de que conseguiu me derrubar. A Insígnia das Fadas. Tome! É toda sua!
        Matthew segurava trêmulo, incrédulo a Insígnia que Valerie lhe entregara, enquanto milhares de vivas e congratulações explodiam na plateia (a maioria delas vinha de Shauna).
        — M-muito obrigado, Valerie!
        — Ora, não foi nada... É meu dever dar Insígnias a quem me derrota, esqueceu? — A líder dá uma piscadela para o irmão mais novo, e então prossegue. — Mas eu tenho mais um coisa pra te dar. Aqui...
        E lançou uma pokébola pra cima, revelando um pokémon fofinho e cor-de-rosa, que dava pulinhos como um coelhinho.
        — Ah, meu Arceus! — Exclama Matthew. — Essa aí por acaso é a--
        — Sim. A Audino que nossa família sempre cuidou como um Pokémon de Estimação. É toda sua agora. Vai precisar de "reforços" agora que estão em missão.
        — Mas eu não posso acei--
        — Calado! Já conversei com Audino e ela quer ir com você! E você vai precisar de uma Mega Evolução em seu time, não vai?
        — Peraí! Quer dizer que-- A Audino...?
        — Sim! Ela pode Mega-Evoluir... Aqui: A pokébola dela, que já foi convertida pro seu nome. Teoricamente, a Audino já é sua. — diz Valerie enquanto entrega a pokébola da pokémon pra Matthew.
        — Isso quer dizer que... Se eu fizer isso... — Matthew pressiona a Key Stone em seu Mega Bracelet e o pokémon fofinho ali parado explode em cores vivas, mudando repentina e bruscamente de forma. O que antes era um pokémon cor-de-rosa, agora torna-se uma criaturinha branca e com olhos vermelhos, muito mais fofinha do que antes.
        — Ódi, ódi! — Exclamou o pokémon com uma vozinha baixinha e suave, enquanto alisava seus próprios pelos, agora transmutados.
        — Isto é... Fascinante! Eu... Eu aceito o presente, irmã! Quem diria? Minha primeira Mega Evolução!

Continua nos Capítulos Ωmega...


Pokémon XY Adventures || Nothing Lasts Forever and Ever (Season 3) – Escrito em Janeiro de 2014 – A cópia ou redistribuição desse material é totalmente proibida.
Pokémon e todos os respectivos nomes aqui contidos pertencem à Nintendo.

Ao escrever a fanfic o autor não está recebendo absolutamente nada, ou seja, não há fins lucrativos e nenhuma obtenção de lucro com a escrita dessa história. A fanfic foi projetada apenas como uma forma de diversão, de entretenimento e passatempo para outros fãs de Pokémon. ~

5 comentários:

Shiny Glɑceon™ said...

Wow... just wow, fiquei sem palavras com este capítulo, finalmente ficou explicado o porquê de Valerie agir assim com o irmão, ela foi atacada e abusada e não encontrava Matt em lugar nenhum, foi um dos capítulos mais incríveis e emotivos que li, não tenho muito mais a dizer se não um grande "wow" me surpreende a sua forma de escrever, é tão tocante, tão verdadeira, faz com que como leitora crie uma grande empatia com seus personagens, simplesmente perfeito.

Ahh, golpes do tipo dragão acertando em fadas? Não que me importe com isso, já vi no anime bem pior :v vou criticar nada, capítulo mais que perfeito, nota dez, A+ =P

Kevin Fahrenheit said...

Oooiii, desculpa pelo atraso na resposta, Shiny Glitter <3 (Tá, parei kkkk). Ultimamente estou sem tempo pra nada. Estou muuuuito preocupado, tenho que estagiar em uma empresa e tal e eu não tenho a mínima noção de onde eu possa fazer isso e... Enfim, detalhes à parte. Devo te avisar também que devido minha correria diária, não escrevi mais capítulos além do 11, portanto em breve estaremos entrando em um hiato por tempo indefinido!!!! (e isso vale para todos os leitores que por ventura estão vendo este comentário).
Que bom que você tenha gostado do ep. Pensei que desta vez viriam críticas negativas, pois talvez eu tenha ido um pouco longe demais, sabendo que tem bastante criança/pré-adolescente de dez, doze anos lendo isso. Mas hoje em dia elas já estão acostumadas com tanta sexualidade explícita.
Enfim, muito obrigado mesmo por mais uma vez vir aqui (gastar do seu precioso tempo) e comentar. Isso vale muito pra mim. Do fundo do meu coração, obrigado. Obrigado mesmo.

Paz e Amor, tudo bom pra você e até o próximo capítulo!! o/

:D

Anonymous said...

Amei esse capítulo. Só posso dizer isso. Seus capítulo estão sendo um ótimo exemplo! Com certeza ajudarão minha fanfic!

Kevin Fahrenheit said...

Obrigado :D

Edulipe said...

U-A-U! Capítulo perfeito! Fiquei um pouco sem graça lendo, mas foi interessante largar o básico de uma Gym Battle para colocar uma coisa não do cotidiano, mas da vida real. É maravilhoso ver o re-introsamento de irmãos e a batalha final foi épica, realmente perfeito!

Post a Comment

Por Favor, não xinguem, não briguem, respeitem a opinião dos outros e façam somente críticas construtivas

#Kevin_

Free Pikachu 2 Cursors at www.totallyfreecursors.com